quarta-feira, 5 de março de 2014

Resenha de Cidade de Papel do John Green



Titulo: Cidades de papel
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano de Lançamento: 2013
Número de páginas: 368
SINOPSE: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.



O livro se inicia quando Margo, uma garota popular e muito louca visita Quentin, um garoto todo certinho e o convoca para ajuda-la a realizar um plano de vingança contra todos que a traíram de algum jeito. Ele aceita ir, apesar de estar com medo de invadir e ser preso e acabar com as chances dele ir pra faculdade e ter uma vida boa e assim se inicia a melhor noite da vida de Quentin até então, só que depois disso eles vão pra casa e Quentin nutre mais esperanças de ter algo com a Margo, no qual era apaixonado desde de criança. Só que já no dia seguinte, ele não encontra Margo no colégio e ele acaba descobrindo que ela fugiu (coisa até bem comum pra ela), mas achava que seria como as outras vezes que logo voltou pra casa.
Durante todo o tempo que Margo passou fora a escola mudou radicalmente, no começo tudo ficou mais ruim pra quase todos, mas isso mudou rapidamente, ainda por consequência da noite de Quentin e Margo.
Quentin encontra uma pista bem vaga e que só ele poderia encontrar, que poderia leva-lo até a Margo, e então ele, com ajuda dos seus amigos e uma das amigas de Margo tentam encontra-la.
Umas das pistas que eles encontraram foi um livro que estava sublinhado um trecho de marca-texto, e esse trecho foi interpretado de varias maneiras, até deixando a sensação de que a garota tinha se matado.
Tenho certeza que se isso acontecesse realmente, a maioria das pessoas desistiriam de procurar, ou no minimo diminuiria a vontade de terminar o mistério, mas Quentin não foi assim, e só descansou quando conseguiu chegar a o destino de Margo.

O livro é dividido tem 3 partes, a primeira e a noite das vinganças, por assim dizer; a segunda são as tentativas de entender as pistas, que pra mim foi muito parada em algumas partes, e em outras foi muito divertido; e a ultima é a ida até o local onde possivelmente Margo estaria, e Quentin foi acompanhado dos dois melhores amigos e a amiga da Margo, e essa parte foi MUITO boa, pra mim com certeza a melhor, não só pelo final, mas sim por todo o conjunto, dos momentos engraçados, que pra mim até superou os da primeira parte e as partes serias bem no final do livro.
Adorei o livro, e o John Green sempre é ótimo com os seus livros, apesar de ainda preferir 'Quem é você, Alasca?'  esse livro me surpreendeu bastante

2 comentários:

  1. Parece ser ótimo!!! Pretendo ler esse mês....

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Os Jovens Leitores Copyright © 2015 - Design por Camila Solli.