quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Férias - Marian Keyes

Título: Férias!
Páginas: 560
Autor(a): Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Chick-Lit
Ano de Publicação: 2012
Sinopse: Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga – pode-se mesmo dizer muy amiga – de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro – a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale… Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

Esse é o primeiro livro que leio da Marian Keys e tenho que dizer que gostei bastante do modo como a historia se desenrolou, pois no inicio era difícil enxergar a protagonista Rachel como uma viciada em droga, até porque o livro é contado na primeira pessoa e ela não se enxergar dessa forma, então tudo aquilo nos é mostrado como um mal entendido e que tudo que ela fazia era feito de forma controlada.

Nos primeiros capítulos do livro Rachel perde o seu emprego, o namorado Luke Costello e volta pra casa dos pais na Irlanda e descobre que será internada em uma clinica para toxicômana e pessoas com outros problemas; tudo isso por um "engano" que quase a matou.

Quando chega na clinica ela não consegue se ver como uma pessoa que deveria estar ali com todos os outros internados, e ainda por cima tem que fazer coisas que normalmente nunca faria, como acordar cedo para preparar o café dos outros internos e ir para torturantes grupos de apoios com uma freira muito malvada ;x

Muitos momentos nesses grupos de apoio aconteciam revelações de "causas" que levaram a surgirem esses problemas na vida adulta, e o modo que cada um reage a essas revelações segue uma especie de padrão que até os pacientes mais velhos reconhecem nos novatos; achei isso bastante interessante principalmente quando acontecia do ponto de vista da protagonista logo depois de ela vê acontecendo com um personagem secundário.

Diferente do que esperava de um Chick-Lit esse livro também tem os momentos de reflexão e isso fez com que me encantasse pela historia, mesmo achando que em alguns momentos ele perdeu um pouco o foco e ainda assim consegue manter o humor que me fez querer ler o livro.

Os capítulos dos livros contavam de forma não cronológica a vida da protagonista Rachel em Nova York, os meses na clinica e alguns flash backs da sua infância. Em Nova York conta principalmente como surgiu o romance entre o Luke e a Rachel e é bastante estranho saber que ele iria terminar com ela meses depois.
O livro tem um ritmo bem gostoso e acaba passando rapidamente e me deixou com vontade de querer ler mais sobre essa família tão divertida. Por fim devo dizer que o final do livro é de morrer de rir.

P.S: Esse livro faz parte de um serie de livro que fala sobre a família Walsh e não é necessário ser lido na ordem de lançamento.

4 comentários:

  1. Adoro livros desse gênero.
    Parece ter uma história envolvente, que prende do inicio ao fim.
    Adorei a resenha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li muitos livros desse gênero, mas vou procurar mais alguns dessa escritora.
      Sim, a historia prende mesmo ;3
      Valeu e beijos

      Excluir
  2. Acho que Chick Lit não é meu gênero, o que me ganha nesse livro é saber que a autora foi crescendo os personagens nas continuações conforme ela demorava a escrever.
    Boa resenha

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não acho chick lit meu gênero, mas gostei desse, vai entender ;P

      Excluir

Tecnologia do Blogger.

Os Jovens Leitores Copyright © 2015 - Design por Camila Solli.